A fila anda...

27/05/2013

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Ao serem definidas as próximas estreias do horário das seis, encontramos muitos autores prontos para prestar serviço ao mesmo tempo em que tem gente que acaba ficando mais um tempinho longe da telinha. O que é uma pena, já que o horário das seis tem se mostrado o mais criativo da Globo. É certo que já diminuíram a duração de capítulos de novelas das seis e, nos últimos tempos, está sendo possível duas novelas por ano. Mas mesmo assim, há muita gente boa esperando uma vaga.

"Joia rara", próxima novela das seis, estreia em setembro e tem a assinatura de Thelma Guedes e Duca Rachid. Quarta novela da dupla e terceira original, já está na hora das autoras se aventurarem no horário nobre, ou melhor, no horário das nove (sim, pois segundo Susana Vieira, horário nobre da Globo começa com o Globo Rural). Após "Joia rara", vem o Benedito Ruy Barbosa com o remake de "Meu pedacinho de chão", dirigido por Luiz Fernando Carvalho. Sucedendo, Alcides Nogueira e Mário Teixeira com sinopse inédita.

E depois? Na fila, Elizabeth Jhin, Lícia Manzo ou Rui Vilhena, este supervisionado por Aguinaldo Silva. Fora a possibilidade de segunda chance a Cláudia Lage e João Ximenes Braga (li que eles não pretendem mais escrever juntos). Fora o pupilo de Manoel Carlos, Fausto Galvão. Ou seja, tem muita gente no horário das seis, sem esquecer do dono do horário Walther Negrão.

Enquanto isso, no horário das sete, a certeza é Marcos Bernstein e Carlos Gregório com "Além do horizonte". Mas e depois? Ouvi rumores de uma adaptação de um folhetim de Andreia Maltarolli, possivelmente por Daniel Ortiz, colaborador de Sílvio de Abreu. Seria uma boa. Mas e depois? Antônio Calmon, bem ou mal, está por aí perdido. Ah... Tem a dupla Filipe Miguez e Izabel de Oliveira. Esses com certeza voltam (e merecem devido o sucesso de "Cheias de charme"). Mesmo assim, os folhetins das sete parecem menos definidos que a superlotação do horário das seis.

Já no horário nobre, ou melhor, no horário das nove, o revezamento de sempre: Manoel Carlos, Aguinaldo Silva, Gilberto Braga, João Emanuel Carneiro, Glória Perez e Walcyr Carrasco, lógico. Não necessariamente nessa ordem. Impressão minha ou tá na hora de podar alguns egos na Globo e reorganizar esse esquema de autores?

Reclamam que a audiência cai, mas dava bem pra fazer alguns testes noutros horários com novelas mais curtas. É uma sugestão que jogo para o universo. Seria bom pra muita gente. E olha que eu só citei autores conhecidos, fora os colaboradores que são muitos e com certeza devem ter um arsenal de ideias.

Mudando de assunto: Já que é pra falar de novelas, há também que se pensar a faixa das novelas da tarde do SBT. Aquilo tá uma bagunça! Não concordo com a volta de Marimar, não acho que "Revelação" volte, seria estranho ver "Rebelde" num horário que não fosse o das seis da tarde (logo depois de "Malhação, hein...") e "A feia mais bela" no momento em que a RedeTV exibe "Betty, a feia". Fora o movimento na internet para a exibição de alguma novela da Gabriela Spanic (hoje "Por teu amor" esteve nos TTs e olha que a novela quase nem é conhecida). Além de audiência, o SBT tem que pensar na identidade de sua faixa de novelas. Não dá pra atirar pra todos os lados.