A trajetória de uma estrela #Hebe

12/08/2020

Foto: Fábio Rocha/Globo
Foto: Fábio Rocha/Globo

Parece que foi ontem aquele 29 de setembro de 2012. Era uma fria tarde de sábado. Eu trabalhava em Lages (SC) quando fiquei sabendo pela internet sobre falecimento da apresentadora Hebe Camargo. Um dos maiores nomes da comunicação se tornava uma estrela para sempre.

Passados alguns anos, resgatou-se parte de sua trajetória no filme "Hebe - A estrela do Brasil", que também abordou um pouco da vida particular da apresentadora. Derivado do filme veio a série, experiência que a Globo já realizou a partir de outras produções ao exibi-las no formato de capítulos. Comumente classificada como minissérie, nesta experiência a produção impregnou um tom de seriado. Com isto, foi necessária a criação de novos entrechos para justificar o tempo de arte dos dez episódios, que trazem ainda um pouco da relação da apresentadora com personalidades como Dercy Gonçalves, Roberto Carlos e Sílvio Santos.

Muito se fala sobre Andrea Beltrão vivendo Hebe na idade adulta. A atriz interpretou com inspiração e muita força dramática o papel de uma das pioneiras da televisão. Mas não podemos esquecer de Valentina Herszage, que se destaca como a estrela em sua juventude. Dona de um carisma próprio, ela fez cenas muito delicadas ao lado de Ângelo Antônio, que vive seu pai na série. A proximidade que existia entre pai e filha está muito bem retratada e respeitosa com o sentimento que Hebe sempre deixou transparecer em relação a ele.

Uma das polêmicas da série está em seus bastidores e diz respeito à representação da apresentadora na visão de Marcelo, seu filho. Na ocasião de estreia, ele disse não reconhecer determinadas atitudes apresentadas como sendo de sua mãe, como o fato do uso de bebidas alcoólicas no camarim. Salientou ainda que um dos maiores atributos de Hebe era o respeito ao público, procurando ser pontual para que a plateia não ficasse esperando. Ou seja, a série dá à "Hebe" uma versão cujas licenças poéticas podem desconfortar pessoas que conviveram com a apresentadora. Este registro é necessário, pois ao tratarmos de biografia, há uma grande possibilidade de uma leitura distante da realidade.

"Hebe" é, portanto, uma obra de ficção livremente inspirada na história de vida de Hebe Camargo. Seus episódios são exibidos pelo Globoplay desde dezembro de 2019 e que a Rede Globo tem apresentado toda quinta-feira desde o último dia 30 de julho. Vale a pena conferir!

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.