Achei que era só uma marolinha... #Babilônia

14/04/2015

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Sério... Eu tinha pra mim que seria mais uma novela das nove que começa como a "pior audiência de todos os tempos" e logo entraria nos eixos. Mas a baixa audiência de #Babilônia tem sido um triste presente para a Globo, que completa seus 50 anos reverenciando seu passado, mas com um futuro incerto.

A trama de Gilberto Braga et. al. começou muito bem e tinha tudo pra ser uma supernovela. Mas bastou a família tradicional brasileira se voltar para novelas mais "família", tipo "Carrossel" e "Os dez mandamentos", para que uma trama forte, verdadeira e emocionante (slogan de "Torre de Babel, I know!) fosse deixada de lado. Uma pena!

O problema é que mudanças já são percebidas no enredo. E isso está fazendo com que a boa novela do início, a rejeitada, esteja se tornando uma história menos audaciosa e, por conseguinte, menos interessante para mim. Se eu estava vibrando com a novela nos primeiros capítulos, agora não sinto nem falta se não assisto. Culpa dos inúmeros núcleos chatos, dos romances água-com-açúcar tipo o do Chay Suede que não me empolga e aquele núcleo do prefeito que eu tenho certeza que o Ricardo Linhares escreve sozinho.

A novela está ficando desinteressante e, agora, merece a pífia audiência. Mas pra quê chorar? Pra quê sofrer se há sempre um novo amor a cada novo amanhecer?