Agora sim vale a pena ver de novo

03/08/2008

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Pra mim, a expectativa da estreia do "Vale a pena ver de novo" é mil vezes maior do que a do desenrolar de tramas de alguma novela atual. Talvez porque o nome da atração global já diz tudo: vem aí um sucesso. Mas com essa história da classificação dos programas, grandes sucessos simplesmente ficarão guardados em nossa mente sem a possibilidade de reprise.

Desde "Laços de família", são reapresentadas somente novelas das seis ou das sete. Destas, as que fizeram mais barulho foram "A viagem", uma obra-prima, e "Da cor do pecado", grande sucesso das 19h. E com a disputa acirrada de ponto a ponto no ibope do horário da tarde, chegou a hora da Globo levar à ilha de edição dois folhetins que foram sucessos de crítica e de público: "O clone" e "Mulheres apaixonadas".

Em 2001, "O clone", de Glória Perez, estreou poucos dias após os atentados de onze de setembro e que quase foi inviabilizada na época por conta do ocorrido, pois os temas que seriam retratados na novela despertaram nos diretores da emissora um certo receio. Já em 2003, uma crônica do Maneco entrava no ar substituindo "Esperança". Falo de "Mulheres apaixonadas", onde o autor retratou temas polêmicos com sua sensibilidade única.

Como a substituta de "A favorita" é assinada por Glória Perez, acredito que "Mulheres apaixonadas" deve dar as caras após o término de "Cabocla". Até agora, nada confirmado. De qualquer forma, as duas novelas passarão por um pente fino pra adquirir classificação livre ou dez anos. O que esperamos é que a nova edição não comprometa a história dessas duas excelentes produções e que, de preferência, essa brecha se estenda à novelas como "Celebridade", "América" e "Belíssima".

Mudando de assunto...

O elenco da substituta de "A favorita", "Caminho das Índias", já está quase completo. A trilha sonora da novela deverá seguir os moldes do que foi "O clone", com muitas músicas locais. Algumas tramas já estão vazando, como a personagem de Ísis Valverde que se apaixona por um indiano vivido por Caio Blat e não se adapta ao novo país. Já Christiane Torloni será Melissa, mãe de Tarso (Bruno Gagliasso), que tratará do tema da saúde mental. A personagem de Christiane Torloni será casada com Humberto Martins.