Alma gêmea - Um balanço geral

18/02/2006

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Trama Inicial - Ótima. Nota dez! Cem! Mil!

Trama Intermediária - Nota sete! Setenta! Setecentos! Ora, numa semana a trama arrebenta e nas duas seguintes cai no melodrama, por favor!

Trama Final - Relembrou os folhetins dos anos 1990 da TV Globo, onde o final do capítulo pedia bis!

Abertura -  Poderia ter sido melhor...

MELHORES E PIORES

Melhor atriz: Ana Lúcia Torre (Débora) - Quem for contra à atuação da atriz, que atire a primeira pedra! Ela precisava, há muito tempo, de um personagem de destaque na TV.

Melhor ator: David Lucas (Terê) - Até mesmo o Rafael (Eduardo Moscovis) deixou a desejar. Bons tempos de Nando em "Por amor"!

Pior atriz: Difícil. Até a Tammy Di Calafiori (Nina) representou bem!

Pior ator: Fácil. Tem de ser só um? Posso enumerar quase todo o elenco masculino. Destaques para Kayky Brito (Gumercindo), Thiago Luciano (Ivan) e principalmente, o pior de todos os piores, quem não devia nem mesmo ter entrado na novela, quem ficava como um dois de paus em todas as cenas, como se estivesse em posição de sentido e cantando o hino nacional, ele: Erik Marmo (Hélio). Só ele? Podia acrescentar aqui também o Sidney Sampaio, ou então o Luigi Baricelli em seu pior papel na TV... Deixa quieto.

Foi bom:

- O núcleo da Mirna (Fernanda Souza), Crispim (Emílio Orciollo Netto) e Tio Nardo (Emiliano Queiroz). Em todos os contextos.

- Ver a Zulmira (Carla Daniel) dando uma surra da Débora e a morte da vilã essa semana.

- O primeiro capítulo da novela: pareceu um roteiro de cinema!

Foi mal:

- A música "Uma vez mais", do Ivo Pessoa, tinha de tocar em todos os capítulos da novela. Foi o hino que embalou a trama tal qual Rosana (beijos, Rosana!) fez com o hit "O amor e o poder" na novela Mandala, de 1987.

- A escolha de Thiago Luciano como o motorista Ivan.

- O trecho da música "Blue moon" na vinheta do "estamos apresentando" da novela.

Se é pra cascudear, tá cascudeado!