Amores literalmente roubados #AmoresRoubados

06/01/2014

Foto: Amanda Freitas/TV Globo
Foto: Amanda Freitas/TV Globo

Na última semana, a Rede Globo exibiu em três capítulos a minissérie "O tempo e o vento", baseada na obra de Érico Veríssimo. Como muitos de vocês devem saber, sou do Rio Grande do Sul. Mais que isso, moro no interior do interior do interior e nesse reduto, pude perceber a indignação do pessoal mais velho, que não viu fandango! Isso mesmo! A maior queixa que eu ouvi foi isso, que a minissérie não abordou a cultura do Rio Grande do Sul. Convenhamos que em três capítulos extraídos de um filme, é impossível contar toda a história de Érico Veríssimo. Em comparação com a versão de 1985, faltou muita coisa no roteiro. Quem esperava uma história com muitas cenas de guerras deve ter se decepcionado, pois as mesmas não foram valorizadas como em "A casa das sete mulheres". Motivo? O formato!

Mas a partir de hoje, "Amores roubados", de George Moura, promete ser memorável. Não só pelo roteiro, elenco e direção, mas também por conta do sucesso de "O canto da Sereia" no ano passado. Indubitavelmente, teremos uma boa repercussão do trabalho. Uma pena reunir novamente uma patota que deu certo. Não é querer falar, mas repetir nomes à exaustão torna a coisa complicada. Murilo Benício atuando com Cauã Reymond de novo... Bom, quem tá na Globo deve saber o que faz e a gente espera que faça bem feito. Aguinaldo Silva, por sua vez, não pretende repetir nomes de "Fina estampa" em "Falso brilhante", título provisório de sua próxima empreitada. Aliás, confesso que ando simpatizando com o tio Naldo!

E para fechar a safra de minisséries, a exibição de "Serra pelada", também um filme nacional com algumas cenas secretas inseridas (tão secretas que às vezes a gente nem percebe que foram inseridas) deve chamar a atenção na mesma proporção que aquela minissérie que a Globo exibiu ano passado também... Como era mesmo o nome? "Gonzaga - De pai para filho". Isso! A Globo deve mais uma vez jogar um banho de água fria em todo mundo que acompanhar uma ótima produção e atochar filmes em capítulos pra gente! Mas paciência... Quem não curtir que troque de canal, não é mesmo?

Mudando de assunto: "Café com aroma de mulher" vai ser exibida novamente no SBT. A trama, que gira em torno de Gaivota (Margarita Rosa de Francisco) e Sebastião (Guy Ecker) foi uma ótima escolha para substituir "Maria do Bairro". Por mais que eu adore a Thalía, la reina mexicana precisa de um descanso de imagem. Já a novela colombiana é uma história de Fernando Gaitán que fez muito sucesso em todo mundo. Isso sem contar que tem um bom número de capítulos. Dando certo, vai aliviar uma dorzinha de cabeça do SBT por um bom tempo!

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.