As protagonistas atuais

08/07/2013

Foto: Estevam Avellar/Rede Globo
Foto: Estevam Avellar/Rede Globo

"Flor do Caribe", "Sangue bom" e "Amor à vida", as três novelas da Globo, estão bem na audiência - e não venham me dizer que não.

"Flor do Caribe" repercute bem, tem seu público cativo, uma boa história e é a mais tradicional dentre as atuais novelas da Globo. A novela supera "Lado a lado" em audiência. "Sangue bom" eu diria que é a maior novidade dentre as três. Novela boa de assistir, com personagens complexos, uma crítica ácida e humor refinado. Sequer lembra que a anterior foi "Guerra dos sexos" e repercute muito bem nas redes sociais. "Amor à vida" dá certo porque fisgou o público tradicional e recuperou quem se afastou da bomba "Salve Jorge". Já teve dias melhores, é verdade, mas dá certo por conta da trama simples: uma mãe em busca de sua filha. O resto é novidade pra encher capítulo e tornar a novela adulta e convencível às 21h.

As três novelas da Globo bebem da mesma fonte, o folhetim, mas suas características as condicionam enquanto tradicional (Flor do Caribe), novidade (Sangue bom) e ambos (Amor à vida). Enquanto na novela tradicional a protagonista é uma cara, na novela novidade a protagonista é cheia de nuances, bem além de duas caras, e na novela ambos a protagonista padece do mal cometido pelos outros e pelo meio ao mesmo tempo que é cheia de nuances.

Assim, a gente pode perceber que é possível ser tradicional e moderno (isso me lembrou o teaser da novela "Araguaia"). Há mocinhas para todos os gostos e elas são responsáveis por caracterizar a forma como a história das novelas é contada. Assim, não podemos desprezar os predicados da personagem principal, afinal, é ela quem vai vender a trama e tem a função de convencer o público a comprá-la.

Mudando de assunto: A nostalgia bateu forte ontem ao assistir o "Passa ou repassa" no "Domingo legal". Foi minha amiga do twitter e frequentadora assídua desse espaço Talita Cruz que me lembrou sem querer querendo. Fui ligar a TV e dei de cara com aquele Celso Portiolli divertido, aquela animação dos tempos de escola, as provas bobas que a gente torce sem querer e a famosa "Torta na cara", que faz rir. Impressionante como algumas coisas se mantém na memória afetiva e, mesmo quando voltam com algumas novidades ou diferenças, tocam a gente. Além disso, é necessário destacar que quem teve a ideia de trazer de volta a gincana, ainda que como quadro do "Domingo legal", merece um beijo na testa!