Assuntos proibidos

23/02/2012

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Em "Mulheres de Areia", Reginho (Fabrício Bittar) morreu. O irmão de Tônia (Andrea Beltrão) se intoxicou nas águas de Pontal d'Areia. Morte de criança em novela? Que absurdo! Hoje em dia, criança não pode morrer!!!

Pelo menos em novela. E nem sofrer... Ou se for sofrer, que não seja tanto. Júlia (Jesuela Moro) teria leucemia, mas agora padecerá de hepatite. A desculpa foi o vazamento da trama. Por outro lado, dizem que "A vida da gente" é uma novela angustiante demais e, talvez por isso tenha havido a alteração.

Já que criança não pode morrer em novela porque tudo tem que ser lindo e maravilhoso, também não se pode falar sobre torturas. Nem físicas nem psicológicas. Novela não permite isso. "Amor & revolução" foi rejeitada. Afinal, não houve crueldade nos anos de chumbo. E isso, só pra constar, é sarcasmo!

Já em "Viver a vida", a minivilã que só sabia desenhar e que eu esqueci o nome (aquela menina que começou em "Revelação" do SBT) não podia fazer cara feia pro lado da Helena (Taís Araújo) porque criança não pode ser má. Criança tem que ser boazinha. E na maioria das vezes, chata ao cubo.

Outras tramas também não podem aparecer em novelas. Fanatismo religioso, por exemplo. Maria Adelaide Amaral criou um Dom Jerônimo (Tarcísio Meira) assombroso em "A muralha". O hipócrita tirava da Bíblia as mais belas lições de moral e tratava a esposa Ana (Letícia Sabatella) com desprezo, torturando-a fisicamente e psicologicamente. Tudo bem que o horário permitia, mas nada além disso.

E o que dizer de incesto? Em "A muralha" novamente tivemos na relação conturbada entre Isabel (Alessandra Negrini) e Tiago (Leonardo Brício). Ela ficou grávida do próprio irmão, deu a luz numa canoa, rejeitou a criança e... E a criança nasceu perfeita!

Outra criança que também nasceu perfeitinha foi Sabina (Marina Ruy Barbosa), filha de Vitória (Cláudia Abreu) e Pedro (Henri Castelli). Na trama, ela era tia do neto de Bia Falcão (Fernanda Montenegro) O autor Sílvio de Abreu fez essa baita revelação no último capítulo de "Belíssima". Gosto de tramas fortes!

Já Aguinaldo Silva não foi em frente com o romance entre Isabel/Lindalva (Carolina Dieckmann) com Leandro (Leonardo Vieira). Não passou de um beijo entre irmãos e a trama se esvaziou. Teria sido fodástico ver dois filhos da senhora do destino unidos por um incesto.  Um pouco perturbador, é verdade, mas quebraria muitos paradigmas e abriria possibilidades para muitas outras tramas.

Mudando de assunto: Bom prestar atenção que a Globo não é pioneira em tudo o que aparece na teledramaturgia. Eu estava pensando... Quando assisti a re-reprise de "Fascinação", encontrei a gravidez psicológica de Berenice (Samanta Dalsoglio), que me remeteu a Simone (Gabriela Duarte) de "América", de Glória Perez. Esse é apenas um dos muitos exemplos que podem ser verificado em nossa teledramaturgia.