#BomDiaVerônica é pra maratonar!

21/10/2020

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

É com muita satisfação que hoje trago um pouquinho sobre "Bom dia, Verônica", produção brasileira da Netflix que estreou no dia primeiro de outubro. Contando com Tainá Müller no papel da protagonista, a série aborda temas caros como violência doméstica, psicopatia e corrupção. São oito episódios eletrizantes, conduzidos com uma fluidez narrativa que dá orgulho à dramaturgia nacional.

Temos aqui uma protagonista cheia de nuances e envolvida numa trama que envolve seu trabalho como escrivã e as consequências para sua vida pessoal quando ela se vê buscando justiça para casos de violência contra a mulher. A série traz ainda Janete (Camila Morgado), uma esposa submissa que sofre nas mãos do marido, o policial militar Cláudio Brandão (Eduardo Moscovis). São muitas as sequências de violências físicas e psicológicas logo no primeiro episódio. E a tensão só aumenta conforme a história avança.

Confesso que no primeiro momento achei que a Camila Morgado não tinha a idade da personagem. Mais tarde, confirmei essa hipótese na internet. No entanto, a atriz entrega um trabalho tão bem feito que a gente releva esse detalhe. Já Eduardo Moscovis surge muito diferente de seus bons moços das novelas, como Nando (Por amor) ou Rafael (Alma gêmea). É impossível não ficar amedrontado com Brandão.

"Bom dia, Verônica" é um bom exemplo de que há condição de produzirmos obras que disputem em pé de igualdade com outras produções internacionais. Não se trata aqui de síndrome de vira-lata, mas sim de lembrar que a arte em nosso país nunca teve seu valor reconhecido. Que venham mais produções com essa qualidade!

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.