Cadê o #Chaves?

05/08/2020

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Na semana passada, o mundo televisivo ficou em choque com a súbita saída do seriado "Chaves" da grade do SBT. O que a princípio parecia ser um evento relacionado ao contrato da emissora brasileira com a Televisa mostrou-se em realidade um apagão a nível mundial. No dia 31 de julho de 2020 encerrou o período em que a emissora mexicana teria direitos à exibição e distribuição da obra de Roberto Bolaños. Com isto, os direitos aos roteiros retornaram à família, já que a Televisa não teria renovado o acordo. Roberto Fernandez, filho de Chesperito, pretende dar um novo rumo à obra do pai. Rumo este que parece no mínimo controverso e conflituoso, considerando que Florinda Meza, a esposa de Bolaños, posicionou-se nas redes sociais contra o cancelamento das exibições do Chaves pelo mundo.

Muitas são as especulações sobre o destino de Chaves. O personagem já foi adaptado em série animada, produzida por Roberto Fernandez. Nesta, a Chiquinha ficou de fora por questões de direitos, pois a personagem foi registrada por sua intérprete, Maria Antonieta de las Nieves. Isto significaria que numa possível atualização da obra, a Chiquinha também ficaria de fora? Aliás, a ideia de recolher os episódios é para fazer uma atualização? Um remake? Um filme? Uma nova série? Distribuir os originais em plataformas de streaming? Qual seria a ideia?

Neste momento, o maior risco que vejo é que muito conteúdo catalogado por fãs esteja em risco. Conteúdo produzido em cima do Chaves, é verdade, mas que também é fruto de uma pesquisa em documentos como jornais, revistas e gravações da época que nem a Televisa nem a família de Bolaños podem ter acesso. Seria catastrófico que vídeos contendo raridades sobre a série e sobre os seus bastidores fossem dizimados do acesso público.

Sabemos que Chesperito era admirado por gerações que acompanharam seus personagens e aprenderam que a vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena. Justamente por isso, espera-se que logo se deslinde o destino de sua obra, pois a angústia e as teorias estão pipocando. E ninguém tem paciência com isso!

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Algumas curiosidades sobre a obra de Chesperito:

Chapulín Colorado: No Brasil, Chapolin Colorado, Polegar Vermelho ou Vermelhinho.

- A partir de 1973, emissoras da América Latina compraram os direitos de exibição da série, que deixou de ser produzida como atração individual em 1979. Na década de 1980, voltou como um quadro do Programa Chesperito.

- Sílvio Santos trouxe a série em 1984 e exibiu no extinto TV Pow, onde o Chaves também foi exibido.

- Em 1999, o SBT exibiu no "Festival de filmes" a junção de dois episódios do Chapolin exibidos em 1981 num dos quadros de Chespirito. Na verdade, tratava-se de uma versão prolongada do episódio "O planeta Vênus".

El Chavo del 8: No Brasil, simplesmente Chaves.

- "El Chavo del 8" tem esse nome porque era exibido no canal oito do México.

- A partir de 1978, Roberto Gómez Bolaños (Chaves) e Florinda Meza García (Dona Florinda) iniciaram um relacionamento.

- Sílvio Santos teria adquirido inicialmente apenas treze episódios da série, que se tornou um verdadeiro sucesso.

- Os episódios "A festa da boa vizinhança" e "A venda da vila" ficaram por muitos anos incompletos na versão brasileira porque os episódios chegavam aos pedaços para serem montados e dublados.

- Chespirito estabeleceu uma verdadeira disputa na justiça para impedir que os atores do seriado Chaves utilizem os personagens do programa sem o seu consentimento.

- Carlos Vilagrán, o Kiko, mudou-se para a Argentina, pois Bolaños não possuía direitos autorais sobre seu personagem no país.

- Em 2002, María Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, foi internada às pressas com um princípio de infarto quando o Oficial de Justiça entregou-lhe uma ação movida por Chespirito impedindo-a de fazer uso de sua personagem.

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.