Deu o maior #TiTiTi

21/03/2011

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Foram 209 capítulos de uma das melhores novelas que já vi na vida! "Ti ti ti" levantou o ibope para além da atual atração das 21h, que andava adormecido desde os tempos modernos. Além disso, trouxe duas tramas clássicas dos anos 1980 (a homônima de 1985 e "Plumas & paetês"), apostou num elenco afiadíssimo, tirou sarro da teledramaturgia (como questionaria o narrador do Canal Viva na propaganda do "Video show", 'você sabe o que é metalinguagem'?) e ainda prestou uma das maiores homenages que um autor de novelas já recebeu em uma produção.

Agradando norte-americanos e iraquianos, a adaptação de Maria Adelaide Amaral conquistou público e crítica apostando numa comédia bem típica do horário das 19h e um triangulo amoroso cuja mocinha não foi xarope. O que foi melhor? Impossível responder. Cada cena parecia ter sido produzida como única. Cada personagem ao entrar em nossa casa era como um amigo. Se no início eu detestava a patricice da Camila (Maria Helena Chira), no final eu torci pra ela ficar com o Luti (Humberto Carrão). E o que dizer da dona Mocinha (Maria Célia Camargo)? Achei sua presença tão sem nexo no primeiro capítulo. Mas depois, passei a adorar a personagem!

Novela feita de história... de personagens! Tá certo que alguns não foram aproveitados como deveriam, mas a gente perdoa... Tanto perdoa que até aceitaria uma barriguinha de uns trinta capítulos pra igualar com "Caras & bocas" em número de exibições.

O último capítulo foi emocionante pra mim! Tanto a cena da Marcela (Ísis Valverde) se declarando pro Edgar (Caio Castro) quanto pelo final com a banda Boletim de Ocorrências feat. Rita Lee. Precisei conter as lágrimas. Como viverei sem a Jacqueline Maldonado (Cláudia Raia)?

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.