Duas caras na personalidade

03/09/2007

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

O assunto de hoje nada tem haver com a morte de Taís (Alessandra Negrini) em "Paraíso tropical". Tampouco traz teorias de Freud sobre o psiquismo humano. O que venho trazer hoje é um breve catalogar sobre as últimas tramas de Aguinaldo Silva.

No passado, o realismo fantástico imperava no horário nobre: "Tieta", "Pedra sobre pedra" e "Fera ferida". Após a esquecível experiência como autor contemporâneo em "Suave veneno" - onde se salvaram somente a Maria Regina (Letícia Spiller), a trilha sonora internacional e a serigrafia das camisetas "Eu sobrevivi a Suave Veneno" - chegamos a "Porto dos Milagres", que tinha a Bahia como locação principal e 5% de atores negros, sendo que o estado detém a maior população de afro-descendentes.

Eis que então chegamos ao sucesso de Maria do Carmo (Susana Vieira) e Nazaré (Renata Sorrah), de "Senhora do destino". E com "Duas caras", o autor mostra que tem de fato duas caras, onde uma denota as tramas fantásticas e na outra as contemporâneas reais. Até aí, tudo bem. Mas o que a morte da Taís tem haver com as caras do Aguinaldo? Sei lá, perguntem pro Ricardo Linhares, que agora escreve com o Gilberto.

Mudando de assunto...

Para quem perde o sono durante a noite, uma opção são as séries americanas que o SBT exibe nas madrugadas. São faixas e mais faixas com episódios - reprises, óbvio! - de "Everwood", "Tal mãe, tal filha", "Sobrenatural", entre outras. O SBT tem séries também na faixa da tarde, séries de comédia de duração de vinte minutos como "As visões da Reaven" e o sempre sucesso "Eu, a patroa e as crianças". Quer dizer, o canal antes de domínio mexicano agora é quase que 100% norte-americano!