O #ÊtaRemendoBom de #ÊtaMundoBom

13/06/2016

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Não quero de forma nenhuma desmerecer a novela das seis. #ÊtaMundoBom é um sucesso. É incrível como as pessoas comentam e fazem referências a Candinho e o pessoal do sítio. As piadas, muitas no estilo #Chaves, funcionam. A trama do cegonho então... É impressionante como todo mundo acha engraçada. Há personagens bem construídos, há! Mas vamos ser sinceros... A novela é um remendo de tudo o que já deu certo, mas apresentada de uma maneira um pouquinho superficial.

Se eu fosse mudar algumas coisas na novela das seis, faria o seguinte: pra mim, a personagem da Maria (Bianca Bin) seria a Filomena (Débora Nascimento). Ao fugir com Ernesto (Eriberto Leão), Maria ficaria grávida e iria para a casa de Anastácia (Eliane Giardini). Lá, ficaria dividida entre Celso (Rainer Cadete) e Candinho (Sérgio Guizé). Com isso, eu faria uma trama mais fechadinha.

Outra coisa que eu modificaria seria a relação do Dr. Araújo (Flávio Tolezani). A trama onde ele está inserido não tinha função nenhuma. Só agora o personagem está envolvido com Sandra (Flávia Alessandra). E mais... aquele núcleo da Ema (Maria Zilda), mulher desquitada e apaixonada, é algo tão fora do contexto todo. O núcleo da fazenda é paralelo e ok, pois tem uma função de esquete cômica específica. Mas há personagens cuja função parece ser necessária apenas em alguns momentos e depois não acrescentam na história como um todo.

Eu sinto que o Walcyr Carrasco vai escrevendo e onde ele percebe que há como ligar as tramas, liga. A novela das seis não me parece ser uma história planejada desde o início. É como se o autor sentasse em frente ao computador e pensasse: vou matar a Ana (Débora Oliveri). E aí ele mata e cria uma trama e segue nela, mas não parece ter sido previamente arquitetada. A novela faz sucesso, é boa de assistir, mas a sua estrutura, comparada às anteriores do autor, é inferior. E olha que eu nem falei do jogral!

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.