Impressões sobre "Insensato coração"

31/01/2011

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Depois de uma grande pausa por conta da faculdade, eis que retorno às atividades bloguísticas!!!

Há duas semanas, a Rede Globo deu largada na nova trama das 21h. "Insensato coração" vem com a "missione" de levantar manter o ibope da reta final de "Paixão". A história iniciou com cara de folhetim: mocinho e mocinha se apaixonam logo de cara, mas ele está comprometido e acaba descobrindo que o grande amor de sua vida é a madrinha de casamento.

No México, essa premissa por si só sustentaria toda a novela. Mas aqui no Brasil, durou menos de duas semanas. Na realidade, o básico de qualquer novela é um filão bem armado. E apesar de um início conturbado tanto nos bastidores quanto na direção dos primeiros capítulos, o principal ingrediente de uma novela está aí: os conflitos dos personagens principais. Tanto Pedro (Eriberto Leão) quanto Marina (Paola Oliveira) se apaixonaram porque o insensato coração é incontrolável. E a morte de Luciana (Fernanda Machado) acaba fazendo-os sentirem-se culpados por viverem esse sentimento arrebatador.

Confesso que eu estava com saudades de uma mocinha forte e decidida, porém sofredora na medida certa. Será que a Marina irá me convencer? Pra mim, novela não pode ter muita inovação na história, mas precisa ser contada de uma forma atraente.

Quero por fim destacar que acho interessante destacar que a novela não está com a cara do Gilberto Braga. Eu sempre o considerei um autor de temas que buscam refletir sobre questões de valores, mas só consigo ver uma trama romântica. Talvez por conta do título, se bem que a anterior "Passione" tinha um clima mais pesado...