Memória da TV - 1

16/05/2006

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Hoje vou falar da "Sinhá Moça" de 1986. A atual é um remake da reedição da primeira versão de "Escrava Isaura". Cuma? Brincadeira! Em 1976, Gilberto Braga escrevia a novela que se transformou num fenômeno de vendas: "Escrava Isaura". A mocinha era Lucélia Santos e o vilão Rubens de Falco. Aproveitando o embalo, o tio Benedito, dez anos depois, leria a obra de Maria Dezonne Pacheco Fernandes e pensaria assim: "Oh, vou escrever uma novela!". E aí escreveu a primeira versão, onde Pai José também foi Milton Gonçalves. O último trabalho de Lucélia Santos, um sinônimo de telenovela brasileira até na China, de Escrava Isaura e Sinhá Moça na Globo, é a vilã Fausta da novela "Cidadão Brasileiro" da Record.

Mudando de assunto...

- Sinceramente, nunca vi o SBT fazer tanta propaganda de uma novela como está acontecendo com "Cristal". Aliás, vamos falar do SBT! Eu adoro cascudear o SBT! Desde que a emissora do Homem do Baú iniciou sua nova programação em abril, a grade já mudou umas cinco vezes. Ou seja, a emissora tem uma novidade a cada semana! Destaque para a rebeldia da novela "Rebelde" que já esteve concorrendo com "Malhação", "Alma gêmea", "RBS Notícias", "Bang bang", "Jornal nacional" e agora concorre com "Cobras & lagartos".

- O "Ver para crer" do SBT é uma espécie de "Vídeos incríveis", da Band, menos emocionante. Sobram três programas legais: o "Jogo duro", que pode ser útil ao SBT agora na Copa do Mundo, a "Supernanny", que é um programa bem elaborado, e o "Ídolos", cuja parte engraçada do programa (os comentários dos jurados) perdeu a graça. Pelo menos, para mim, porque para os apresentadores, o programa é o máximo. E isso fica evidente na tentativa de felicidade e alegria dos apresentadores.

Se é pra cascudear, tá cascudeado!