O profeta - Um balanço geral

14/05/2007

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Vamos começar com o básico: logo no início da abertura, "uma novela de Ivani Ribeiro", mas se tratava de uma nova versão por Duca Rachid e Thelma Guedes, supervisionada por Walcyr Carrasco. Creio eu que nos créditos, deveria constar que a novela era "baseada no original de Ivani Ribeiro". Personagens caricatos, história de época e o elenco de "Alma gêmea" comprovam a presença carrasquiana.

"O profeta" não foi a melhor novela das seis, mas também não foi a pior. Manteve a audiência, provou que remakes são bem aceitos (dependendo do remake e de quem faz o remake, viste "Pecado capital", de 1998) e seguiu no conceito "novela de época" para o horário. A partir de dezembro, a trama ganhou agilidade, com a inserção de mais humor e uma trama policial. Foram ótimas as referências hollywoodianas para em plena São Paulo dos anos 1950. Comparativamente com a original de 1977, tivemos nomes substituídos (Daniel por Marcos; Murilo por Camilo), vinte anos menos no curso da história (década de 1970 para 1950 e finais diferentes para as personagens principais (Sônia ficava com Clóvis e Daniel ficava com Carola), marcando o último capítulo.

MELHORES, PIORES & ETC

Melhor ator: Dalton Vigh, que foi odiado pelo Brasil.

Pior ator: Thiago Luciano, no papel de Pablito.

Melhor atriz: Fernanda Souza, cuja personagem caricata lembrou muitas vezes à atrapalhada Miiirrrnnnaaa.

Pior atriz: Carol Castro - artificial demais na minha humilde opinião.

Abertura: Sem graça! Pra que as imagens das personagens?

Se é pra cascudear, tá cascudeado!