O que eu gosto na TV

21/07/2008

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Às vezes acho estranha essa guerra de audiência. As pessoas que ligam a televisão possuem diversas motivações para assistir esse ou aquele programa. E o curioso é que  ficam rotulando a Globo como primeiro lugar de ibope, Record em segundo, SBT em terceiro, e assim sucessivamente. Se a gente parar pra pensar, as emissoras apresentam seus produtos com intuito de vender todos, não se contentando com apenas alguns sucessos. O importante não é que um programa seja o favorito, mas sim que o canal o seja como um todo.

Eu gostaria de juntar alguns programas de diversas emissoras num único canal. Um canal meu, em que pudesse selecionar várias atrações. Imagina que fantástico seria assistir "A turma do Pica-Pau", "CQC", "Por toda minha vida" e "Supernanny" no mesmo canal! Assistir "Beleza pura" e na sequência "Pantanal"! Sim, este seria o meu canal. E o seu? Imagino que sua opinião pode ser juntar "Astros", "Chamas da vida", "Pânico na TV" e "São Paulo Acontece". Ou não. E aí fica evidente a diferença entre a minha forma de pensar e a sua. Uma não é nem melhor nem pior que a outra. É apenas diferente.

Apontar que tal canal é primeiro, tal é segundo e etc. significa dizer que a maior parte da população pensa como a Globo e é completamente alienado com a política vendida pelos Marinho? Claro que não! Duvido que você que ama a emissora carioca nunca trocou de canal e ficou estacionado no "Chaves" sem querer querendo, com direito a reclamar o porquê de o seriado não estar na grade global. Parece pouco, mas você se permitiu outro conceito. Você não é o canal que assiste, mas a sua opinião está relacionada aos programas que assiste.

Televisão marca individualidade. Quem a vê procura opções de entretenimento e informação, seja qual for o programa, a novela, o jornal, o reality ou o show. Você assiste o que tem vontade. Claro que as emissoras impõem a programação, mas a substituem conforme a audiência. É uma política, porque você faz reivindicações sobre o que lhes estão oferecendo, mesmo sem se dar conta. E só pra concluir, lembrei do novo comercial de "O Boticário", que me remete à seguinte questão: o que seria do mundo se a gente pensasse da mesma forma? E o que seria de você se só assistisse ao Shoptime e não se permitisse sintonizar ao Canal do Boi?

Mudando de assunto...

A novela "Beleza pura" traz ao horário das sete uma trama muito agradável. Uma história bem escrita, com um texto inteligente e personagens capazes de conquistar o público, em especial a espevitada Rakelli (Ísis Valverde) com suas pérolas e choro a lá Bebel (Guta Stresser). A trama de estreia de Andrea Maltarolli é, de longe, melhor que anterior "Se7e pecados". Nas últimas semanas, a volta das personagens que desapareceram no acidente com o Carcará deram mais ânimo à história. Está longe de ser um sucesso, mas é uma boa opção na Globo.