Planejamento inverso

14/01/2013

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Num primeiro momento, a ideia da Record estar adaptando histórias da Bíblia em formato de minissérie me pareceu algo oposto ao que a emissora espera (ou esperava) em seu objetivo de atingir primeiro lugar de audiência. Houve, logicamente, influência dos pastores. Mas não é que a ideia começou a dar retorno? Não que eu assista a temática, mas é preciso considerar que se trata de um produto diferente dos oferecidos pelos concorrentes.

Depois de "A história de Ester", a coisa melhorou com "Sansão e Dalila", que foi exibida em HD. Um melhor acabamento foi visto em "Rei Davi", que contou com cenas no exterior. Essa última foi a melhor das três em termos de repercussão e audiência. O problema, como todos sabem, foi o excesso de exibição, comprometendo a qualidade de programação do canal (que já não anda lá essas coisas...).

Eis então que surge "José do Egito" como nova proposta. Quem viu as chamadas com certeza pensou: é mesmo a Record que está produzindo? Visualmente falando, gostei do que vi. Se direção, figurino e texto casarem, teremos muito "José do Egito" incomodando a Globo. E vai longe, se forem exibidos os 30 capítulos somente nas quartas-feiras. Tem muito José por aí!

Só espero que a Record saiba utilizar bem seu produto e que pense a longo prazo, pois retrocedeu historicamente. A ordem cronológica correta das histórias é "José do Egito" (Gênesis), "Rei Davi" (Samuel e Reis), "Sansão e Dalila" (Juízes) e "A história de Ester" (Ester). Mas se seguirmos ao contrário, aguardem por "O patriarca Abraão", "A torre de Babel", "A arca de Noé", "Caim e Abel", "Adão e Eva" e "No princípio".

Mudando de assunto: O que dizer de "O canto da sereia", microssérie exibida pela Rede Globo na semana passada? A emissora deu um show! Os diretores Ricardo Waddington e José Luiz Villamarim provaram mais uma vez competência ao dirigir com segurança o texto de George Moura e Patrícia Andrade. Aliás, esses dois autores devem ter mais oportunidades! Uma pena que nas chamadas eles não foram citados.