S01E07 - 東京物語 (Era uma vez em Tóquio)

20/06/2020

Constante presença em listas de melhores filmes de todos os tempos, "Era uma vez em Tóquio" (東京物語) é uma referência para o cinema japonês. Com um ritmo lento e pouca movimentação de câmeras nas cenas, Yasujiro Ozu impregnou na obra uma linguagem naturalista. Sua narrativa não se prende na busca por um clímax, permitindo com que os eventos da vida sejam grandiosos com poucas ações. Enquanto Hollywood escancarava na tela movimentos e ações, o destaque do nosso #SábadoClássico abraçava a simplicidade em preto e branco.

A trama de "Era uma vez em Tóquio" pode ser resumida como um casal de idosos que viaja para visitar os filhos. Apesar de simples, essa premissa vai revelando muitas camadas sobre as relações humanas. A pontuação que se sobressai está na dicotomia tradicional versus moderno, num tempo específico de mudanças estruturais pelo qual passava o Japão no decorrer da década de 1950, período em que se recuperava das consequências da Segunda Guerra Mundial. O conflito entre as gerações é o fio condutor num país onde há número considerável da população idosa e onde se considera haver uma tradição familiar no que se refere ao cuidado

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Tudo é orgânico no filme. Uma das características é a maior interação entre os personagens do que a trama em si. A atuação traz uma atmosfera familiar, que causa identificação logo nos primeiros diálogos. A movimentação da câmera é precisa, destacando-se o plano baixo. O som tem papel fundamental, bastante preciso ao destacar o movimento de ruídos de barcos ou trens como um rompimento do estado reflexivo que acomete os personagens. Há um contraste entre a sutileza dos interiores onde transcorre a ação e a metrópole que convida todos a abrir mão do tempo em família para cumprir com o dever laboral em tempos de ocidentalização.

Comumente, pessoas mais jovens falam sobre a dificuldade de se estabelecer relações afetivas mais profundas, pois as mesmas estão distantes de um diálogo, de uma proximidade. Ao observarmos estatísticas sobre depressão no mundo, encontramos a falta de sentido na vida, pois a individualidade estabeleceu-se no mundo como regra. Impera uma lógica onde cada um deve cuidar de si e deixar de lado o coletivo. Por esta razão, o filme representa em sua simplicidade algo complexo, um colapso que tende a transformar o século XXI no período de maior crise de subjetividade da história humana até então.

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

"Era uma vez em Tóquio" tem recepção favorável da crítica, avaliado em 8,2 no IMDb. Há uma refilmagem de 2013 realizada por Yôji Yamada: 東京家族 (Uma família em Tóquio) revisita a obra de Ozu.

FICHA TÉCNICA

Título original: 東京物語

Ano: 1953

Direção: Yasujiro Ozu

Roteiro: Yasujiro Ozu e Kōgo Noda

Gênero: Drama, japonês

Duração: 136min.

Elenco: Isao Hashizume, Kazuko Yoshiyuki, Masahiko Nishimura, Tomoko Nakajima, Satoshi Tsumabuki, entre outros.

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.