#TáNoAr voltou com tudo!

21/02/2015

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

A segunda temporada do "Tá no ar" teve seu início na semana passada, com um programa que já começou mostrando que não está nem aí para o politicamente correto. Tenho até medo de elencar alguns quadros que podem ser vistos ofensivamente, mas eu os achei no mínimo geniais. Vai que algum militante resolve me bombardear por aqui...

Mas ao contrário desse blogueiro, Marcelo Adnet, Marcius Melhem e companhia estão livres pra fazer piada com assuntos sérios. Ceral Killers, Escravas Bahia, Jardim urgente, Vingança dos famosos e até o Carnaval foram alvos de críticas inflamadas. São tantos quadros bons que é impossível escolher o melhor.

No último programa, a animação "Galinha Preta Convertidinha" deve ter dado dor de cabeça a muita gente que deve ter se sentido ofendida. Se falar sobre religião na TV é um tabu, imagina fazer piada sobre o dízimo (como se isso não acontecesse fora da televisão). Sim, eu sei que é complicado mexer em vespeiro, mas até que ponto uma piada é ofensiva?

Não vou seguir nessa discussão porque isso dá no mínimo uma tese de doutorado e ainda falta. Então, o que eu digo é o seguinte: gosto do "Tá no ar", assisto sempre, acho a maioria das tiradas sensacionais - algumas forçadas, é claro. Lógico que se mexerem com alguma convicção minha eu vou chiar na hora... Mas antes de sair por aí levantando bandeira, porque não ser flexível se a gente é capaz de rir de algumas coisas que para outros também seriam ofensivas?