Tentando não errar #TotalmenteDemais

19/10/2015

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Parece que a Globo tomou jeito no horário das sete. Depois de muitos experimentos e novelas ousadas como "Além do horizonte" e "Geração Brasil", a emissora resolveu investir no que melhor sabe fazer: comédia. Pode ser romântica, pode ser leve, pode ser tudo. Pode ser inclusive totalmente demais!

As últimas duas novelas do horário da Globo não trouxeram nenhuma novidade. "Alto astral" até bebeu da fonte do sobrenatural, mas na verdade uma novela despretensiosa e agradável. Essa foi a grande jogada. A história de amor, mais clichê impossível, acabou conquistando e o horário melhorou após a decepção de ibope "Geração Brasil", que foi alardeada como a novela dos mesmos autores de "Cheias de charme".

Depois, veio "I love Paraisópolis". Mas essa novela eu passei longe. Odiei o nome da novela, não gostei da temática, não rolou. Simplesmente isso. Deu audiência? Pois é... Pensei que fosse flopar. Mas também, a produção foi esperta em fazer uma novela toda centrada no nicho de onde se mede a audiência. Reconhecer-se e identificar-se: dois verbos fundamentais para o sucesso de uma trama.

A próxima? "Totalmente demais" já está sendo anunciada. Parece boa? Sim! Tem tudo pra ser uma "Malhação" no horário das sete. Também se falou disso na época de "Sangue bom". A razão? Jovens atores nos papéis principais. Isso também foi visto em "Além do horizonte" e recentemente em "I love Paraisópolis".

A aposta em rostos jovens, em tramas tradicionais, leves, cômicas e românticas parece ser mesmo a chave para o sucesso do horário das sete. Experimentos? Acho que a Globo nem pensa mais nisso, já que a próxima novela, "Haja coração", também será tradicional. Pelo jeito, a ordem é manter a casa em ordem e o público parece aprovar essa ideia.

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.