Trilhas sonoras descuidadas

08/03/2012

Capa da trilha sonora oficial
Capa da trilha sonora oficial

Todos sabem que a Som Livre cuida das trilhas sonoras das novelas globais. Eu não sei qual o critério usado pela emissora para seleção das músicas. Entretanto, dá pra perceber que, por exemplo, as novelas das nove recebem grandes sucessos internacionais. Tá aí "Fina estampa" com Beyoncé, Coldplay, Jessie J, Katy Perry, entre outros grandes nomes. Até aí, beleza. Mas não podemos desconsiderar que também existe uma certa repetição na escolha das músicas em outras faixas.

Na atual novela das seis, "Amor eterno amor", duas músicas são repetidas: "O silêncio das estrelas", na voz do Lenine, foi tema de Albieri em "O clone". E essa música marcou muito o personagem. Já a música "Luz do sol", com Caetano Veloso, foi executada por Jorge Vercillo na novela homônima da Record.

Também na Record, "Mar e sol" de Gal Costa, esteve presente em "Prova de amor" e "Viver a vida", novela das 21h da Globo. Porém, quando a situação remete a aberturas, a coisa fica delicada. "Desejo proibido" apostou em "Sonho lindo", com Tânia Mara. A música é marca registrada da primeira exibição de "A usurpadora" no SBT em 1998. Já a belíssima "Redescobrir" de Elis Regina também foi abertura de uma novela da emissora de Sílvio Santos: "Razão de viver", em 1996. Na Globo, "Ciranda de pedra" trouxe a mesma canção como tema de abertura.

Mas vamos voltar para a Globo copiando de si mesma. Em "A vida da gente", me lembro de três músicas nacionais repetidas. "Ovelha negra", com Rita Lee, tocava simultaneamente na então inédita das 18h e na reprise de "Mulheres de areia", nesta última com Os Fantasmas. Nas duas situações, era tema de personagens que fugiam do padrão familiar: Nanda (Maria Eduarda) e Malu (Vivianne Pasmanter). "Aonde quer que eu vá", com Os Paralamas do Sucesso, embalou o romance dos personagens de Débora Falabella e Henri Castelli em "Um anjo caiu do céu". Já a música de abertura da novela de Lícia Manzo, "Oração ao tempo", esteve em "Duas caras", na voz de Caetano Veloso. Mas já que "Um anjo caiu do céu" foi citada, a trama de Antônio Calmon foi a pioneira a ter Rita Lee cantando "Erva venenosa". Essa mesma música veio depois em "Cobras & lagartos" e em "Escrito nas estrelas". E já que a novela de Elizabeth Jhin foi citada, enquanto a música de abertura da novela, "Quando a chuva passar" era cantada por Paula Fernandes, a mesma já esteve presente em "Cobras & lagartos", dessa vez com Ivete Sangalo. Outra música que esteve na trama espírita foi "Pai", também interpretada por Fábio Júnior na década de 1980, como abertura de "Pai herói", de Janete Clair. Muita música e confusão nisso tudo!

Algumas músicas também são figurinha carimbada. Cássia Eller que o diga... "Chocolate com pimenta" e "Duas caras" estiveram com "Toda vez que eu digo adeus". E a clássica "O segundo sol" volta e meia aparece: "Tempos modernos", "Malhação"... Até o SBT aderiu a canção composta por Nando Reis em "Corações feridos". Mas o SBT copiando até que não me preocupa tanto. Pior é ver Laura Fygi ("How insensitive" em "Laços de família", "Cobras & lagartos" e recentemente em "A vida da gente") e Jamie Cullum ("Singin' in the rain" em "Senhora do destino" e "Viver a vida") repetindo. Dois grandes nomes internacionais que possuem outras músicas de qualidade no repertório. E já que o jazz contemporâneo está em evidência, que tal lembrar "Fly me to the moon" na voz de Peter Jones, que esteve em "Mulheres apaixonadas" e "Alma gêmea"? Agora uma sonolenta versão em português abre os trabalhos de "Amor eterno amor", intitulada "Leve-me pra lua", na voz de Ana Caram. Tão  sonolenta quanto essa foi "Blue moon" cantada por SNZ em "Alma gêmea". Anteriormente, fora a abertura de "O beijo do vampiro", por "The Marcels". Mas neste caso, fechava perfeitamente com a trama vampiresca.

Só para citar outras músicas repetidas, "Cruzando raios" do Orlando Morais esteve em "Mico preto" e também foi o tema de abertura da segunda versão da novela "Anjo mau". "Alma" de Zélia Duncan foi repetida por Glória Perez: "O clone" e "Caminho das índias". E a romântica "Impossível acreditar que perdi" que esteve na trilha de "A indomada" na voz de Fábio Júnior, voltou em outra novela co-escrita por Ricardo Linhares: "Paraíso tropical", mas dessa vez, interpretada por Toni Platão.

O que mais me deixa indignado, porém, é ver um clássico repaginado e mal usado. A música "Rock and roll lullaby", com B.J. Thomas, deveria ser intocável por ter embalado o romance de Cristiano (Francisco Cuoco) e Simone (Regina Duarte) na primeira versão de "Selva de pedra". Voltou instrumental como abertura do remake de 1986 e, até aí, tranquilo. Mas em "Ti ti ti" encontramos essa canção desperdiçada numa versão da banda mineira Pato Fu. Com tanta música, tantos artistas tanto nacionais como internacionais, porque a Globo se repete tanto? Lembrando que eu fiz apenas um pequeno levantamento e que, se formos mais a fundo, encontraremos ainda mais repetições.

Mudando de assunto: "Fascinação" e "Mulheres de areia" se despedem nessa semana. Ambas foram bem sucedidas em suas re-reprises e, curiosamente, serão substituídas por re-reprises: "Marisol", que já começou; e "Chocolate com pimenta". Será que a novela de Walcyr Carrasco vai fazer bonito de novo? Está se tornando cult, igual as novelas da Thalía e "A usurpadora".