Um bom argumento nem sempre faz sucesso

02/05/2020

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Novela é texto. Novela é personagem bem escrito. Novela é direção e identificação do público com a história apresentada. Parece que é só pegar um argumento onde as personagens transitam por um universo ficcional. Mas na prática não é bem assim e a história está aí pra mostrar que só ter o know-how de como produzir não é o suficiente.

Sabe aquele comercial que passava na televisão onde alguém dizia: "Nada substitui o talento!"? Pois bem... Não existe outra Ivani Ribeiro nem outra Janete Clair capaz de reescrever seus próprios argumentos. Citamos "Quem é você" e "Pecado capital" para exemplificar. Na primeira, Solange Castro Neves, que colaborou com Ivani Ribeiro nos mega-sucessos "Mulheres de areia" e "A viagem" foi substituída pelo experiente Lauro César Muniz e, mesmo assim, só minha mãe lembra da novela. Já "Pecado capital" foi reescrita por Glória Perez, pupila de Janete. Mesmo com argumento destas consagradas autoras, nenhuma dessas novelas conquistou audiência e crítica. Vejamos que, geralmente, as adaptações póstumas de Ivani Ribeiro e Janete Clair nem sempre repercutiram como deveriam ou honraram a trama original:

QUEM É VOCÊ (Ivani Ribeiro) - Argumento que foi produzido em março de 1996, quase um ano após a morte da autora. Teve problemas na adaptação, que acabou conduzida por Lauro César Muniz.

A PADROEIRA (Ivani Ribeiro) - A partir da ideia de Walter Avancini, Walcyr Carrasco escreveu sua mais complicada novela. Com a morte do diretor, a novela inspirada em "As minas de prata" (1966) tomou um rumo diferente sob a direção de Roberto Talma. E a audiência sentiu!

IRMÃOS CORAGEM (Janete Clair)- A trama de 1995 foi o fiasco exibido pela Rede Globo para comemorar os 30 anos da emissora. Nem mesmo a supervisão do marido de Janete Clair, Dias Gomes, foi suficiente para repetir o sucesso. O número de capítulos foi reduzido a menos da metade do original, tamanha dificuldade de realizar novo sucesso ao adaptar o texto da novelista.

VENDE-SE UM VÉU DE NOIVA (Janete Clair) - Novela de Íris Abravanel inspirada na radio-novela homônima. A primeira fase valeu pela interpretação de Samantha Dalsoglio, que precisa aparecer mais na telinha. Mas no geral, somente Janete Clair poderia adaptar a obra e fazê-la um sucesso arrebatador, tal qual "Véu de noiva" (1969).

Depois destes exemplos, fica claro que novela é também autoria. Dificilmente um autor desenvolve a trama de outro com o mesmo feeling. Feeling esse que faz a diferença e promove o sucesso dos remakes.

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.