Um pecado na TV

30/09/2013

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

Quem acompanhou aos primeiros capítulos da nova novela da Record se deparou com um folhetim dos melhores. Carlos Lombardi é um autor que não tem meio termo: ou se ama, ou se odeia. E ele conseguiu com maestria prender quem se dispôs a acompanhar sua trama.

"Pecado mortal" jamais seria produzida com liberdade na Globo. Primeiro porque o horário das sete não permitiria que Lombardi mostrasse a acidez de seu texto. Segundo porque o horário nobre, onde isso seria possível, jamais abrigaria uma novela como "Pecado mortal".

Quem parar para analisar o texto vai se dar conta que a aposta da Record vai além de perseguições, tiroteios e descamisados. É um folhetim puro, essência mexicana mesmo. Uma mãe recuperando os filhos após anos de separação. Como não se prender com essa premissa?

Outra peculiaridade da novela é o humor crítico com o qual o autor está familiarizado. Haja fôlego! A novela apresentou conteúdo, rapidez e uma série de situações e referências onde uma só visitada é pouco. Eu sempre fui meio avesso às novelas da Record, mas dessa vez tirei o chapéu. Falam que as novelas se repetem. Pois bem, Carlos Lombardi também se repete. Mas a falta que ele fazia ficou evidente com a estreia de sua nova empreitada.

Mudando de assunto: Temporada de séries na TV fechada! Oba!!! Criminal Minds, Glee, Grey's anatomy, Once upon a time, The Big Bang Theroy, Two and a half man... O que me falta é tempo para colocar tudo em dia, mas a tentiada é livre!