Um sucesso da Record

29/03/2012

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação

Uma das mais representativas novelas produzidas pela Rede Record está de volta. "Vidas opostas", de Marcílio Morais, estreou em novembro de 2006 tendo Léo Rosa (Miguel) e Maytê Piragipe (Joana) como protagonistas. Ao longo de seus 240 capítulos, a novela abordou um Rio de Janeiro não tão maravilhoso. Personagens como Jacson (Heitor Martinez) e Crô, digo, delegado Nogueira (Marcelo Serrado) repercutiram.

Com uma história envolvente e com novas possibilidades até então pouco exploradas em teledramaturgia, o autor surpreendeu a direção da Record, que vivia sua melhor fase desde a retomada do núcleo de teledramaturgia com "A escrava Isaura" em 2005. Uma direção ágil tomou conta dos capítulos, além da trilha sonora perfeita composta por Chico Buarque.

No primeiro capítulo da reprise, exibido ontem, a audiência correspondeu e a tag #VidasOpostas esteve nos TTs. Como diria Aguinaldo Silva, FOM FOM. A novela fez bonito no ibope, marcando 12,5 pontos. Tendo em vista que quarta-feira é o dia D da emissora, podemos esperar que esse número caia um pouquinho nos outros dias. Porém, é válido pensar um pouco: por mais que a estratégia seja válida para elevar a audiência de "Máscaras", a Record não pode exibir sua programação consoante à da Rede Globo. Novela tem público fiel e a emissora só vai conseguir isso se acertar seus ponteiros. Não adianta depender de picos, pois essa atitude nem sempre respeita o telespectador

Mudando de assunto: "Corações feridos" está tendo capítulos movimentados. Na semana passada, a grande revelação sobre a personalidade maquiavélica de Aline (Cynthia Falabella). Um capítulo inteiro de lavação de roupa suja. Foi muito bom! Entretanto, a audiência foi de 4 pontos, diferente de alguns capítulos anteriores que foram mornos e atingiram 6 com pico de 8. Isso só leva a pensar que o público de novelas do SBT difere do público de novelas da Globo e Record ao se manter constante, independentemente dos ganchos.