Uma singela e emocionante #Felicidade

01/07/2013

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Essa semana chega ao fim a novela "Felicidade", reprisada pelo Canal Viva há meses e meses. São 203 capítulos escritos por um Manoel Carlos inspirado, aquele texto bem dito, sem a presunção de tratar de temas polêmicos. Somente com a missão de encantar.

Helena (Maitê Proença) nunca foi uma mocinha politicamente correta. A protagonista da história era uma mentirosa da marca maior e usava a própria filha como justificativa para se esconder por trás de sua insegurança e seus medos. Logo no início da história, quase foi estuprada, fingiu uma gravidez e com a ajuda de amigos forjou o enterro de um tijolo como se fosse o filho perdido. Fugiu da cidade de origem, Vila Feliz (MG), envolveu-se com Álvaro (Tony Ramos) e viveu dois triângulos amorosos: um com o sempre esperançoso Mário (Herson Capri) e outro com a obsessiva Débora, brilhantemente interpretada pela então novata Viviane Pasmanter.

Se de um lado Helena usava a filha Bia (Tatiane Goulart) como desculpa para seus atos, do outro Débora não perdia a oportunidade de usar Alvinho (Eduardo Caldas) para reconquistar o amor de Álvaro. O interessante é que as duas poucas vezes estiveram presentes em cena. O jogo estava no medo de Helena pela perseguição de Débora, que ao mesmo tempo que tinha uma personalidade insegura, sabia amedrontar Helena.

No decorrer da reprise, foi possível observar com saudosismo aquele início da década de 1990. Tudo era mais simples. O realismo dos cenários então... Impossível imaginar hoje a Rede Globo fazendo diversas externas num bairro ou numa praça. A novela "Felicidade" era extremamente familiar, todos os personagens dos contos de Aníbal Machado e as características humanas impressas por Manoel Carlos fez o público tentar encontrar nas próprias relações aquelas pessoas, aqueles sentimentos.

Nos dias de hoje, novela das seis não pode ter frase do tipo "Os homens de Vila Feliz comem a Helena com os olhos". Essa foi a que mais me chamou atenção, mas houve outras citações hoje tidas como impróprias. "Felicidade" foi uma novela longa, mas com cenas memoráveis: Chico Treva (Edney Giovanazzi) salvando Helena de um estupro; Helena batendo descontroladamente na falsa barriga na frente de Mário e revelando a falsa gravidez; Débora revelando para Cândida (Laura Cardoso) o romance entre Álvaro e Helena; João (Sebastião Vasconcellos) se afogando junto com o piano no mar de Copacabana; A felicidade de Bia ao ver que a mãe conseguiu sair do trabalho para pegar seu boletim (cena simples e emocionante!); Helena ensinando Débora a rezar pela saúde do filho; A morte de Tuquinha Batista (Maria Ceiça) e a mais esperada por todos: no penúltimo capítulo (amanhã), Helena conta para Bia que ela é filha de Álvaro. Vamos pegar os lencinhos e aproveitar o finalzinho da novela!!!

Lucas Andrade é natural do interior do Rio Grande do Sul e reside atualmente em Santa Catarina. Escreve sobre televisão desde o Ensino Médio no #BlogCascudeando. Formado em Psicologia e com Mestrado em Educação, atua na área e está cursando Letras-Português. Ainda pretende ganhar o Nobel de Literatura e um Oscar.