Uma verdadeira novela na Record

17/03/2008

Divulgação: Reprodução/TV Record
Divulgação: Reprodução/TV Record

Uma coisa é certa: a Record tem público fiel! Tudo começou com "A escrava Isaura", adaptação de Thiago Santiago do romance de Bernardo Guimarães. A trama foi muito bem aceita, já que no horário, a Globo exibia a problemática "Começar de novo". E esse era um ótimo começo para a emissora, que não pensou duas vezes ao contratar Lauro César Muniz para inaugurar um novo horário de novelas.

Esse segundo horário foi inaugurado enquanto a novela "Prova de amor", de Santiago, era exibida. Tratava-se de "Cidadão brasileiro". Ambas tiveram uma ótima audiência, o que alegrou a cúpula da Record. Até então, não temos problemas: Santiago, com poucas novelas no currículo, tornou-se "consultor" de teledramaturgia, enquanto Muniz era incumbido de produzir um novo enredo.

Com o término de "Vidas opostas", estreou "Caminhos do coração", que ampliou ainda a audiência do horário das 22h. E como em time que está ganhando não se mexe, fala-se na possibilidade de "Caminhos do coração" seguir o formato de temporadas. Por conta disso, a próxima trama, assinada por Muniz, vem sendo adiada. O autor, que teve problemas na aquisição da sinopse chilena "Machos", acabou criando "Vendetta". Só que esta sinopse foi criticada por Santiago na semana passada. E isso gerou um mal estar na dramaturgia da emissora.

A crítica estaria no fato o protagonista de "Vendetta" oscilar entre o bem e o mal (nos últimos tempos, os protagonistas de novelas tornaram-se mais humanos) e Santiago estaria em desacordo com tal personalidade. Outros autores da casa, como Marcílio Moraes e Ana Maria Moretzsohn, ficaram no lado de Muniz. Com esse ambiente instaurado, os bispos terão de resolver a briga antes que a "Chama da vida" se espalhe. Caso contrário, o clima na emissora se transformará num inferno!

Mudando de assunto...

Na última quinta-feira, o humorístico "A praça é nossa", do SBT, comemorou mil exibições. O programa especial foi gravado em algumas capitais brasileiras para promover a interação entre os telespectadores e personagens. Apesar da boa qualidade da produção, o especial acompanhou o atual momento do SBT, ficando em terceiro lugar na audiência. Mas o que mais me chamou a atenção foi uma vinheta do "Troféu imprensa" apresentada durante o intervalo, na qual apontava como melhor novela apenas "Paraíso tropical", ignorando o empate que houve com "Vidas opostas". Uma indireta bem direta!