#VelhoChico tá legal, mas não tá legal...

10/05/2016

Fonte: Reprodução
Fonte: Reprodução

Que eu gosto demais do trabalho do Luiz Fernando Carvalho, não é segredo pra ninguém. Mas não posso deixar de dar a minha opinião quando algo não me apetece. #VelhoChico, a atual novela das nove, é sem dúvidas uma ótima saga, com elenco incrível. O pessoal bate em cima porque dá menos audiência que "Totalmente demais", mas esquece que beirar os 30 pontos é ser superior à "Babilônia" e "A regra do jogo".

Depois das primeiras semanas absurdamente surreais de lindíssimas e perfeitas, eis que a mudança de fase não ficou legal. A novela deveria, logo no início, ter perdido muito daquele encantamento da direção. Manter o clima de novela atemporal nos dias de hoje, exibindo uma caricatura do coronelismo ainda presente e tão atual na conjuntura brasileira, acabou por se mostrar um elemento um pouco equivocado para os meus olhos.

Não é apenas a peruca do Fagundes. É toda a caracterização do ator. Ele não está indo muito bem para carregar essa novela nas costas. Onde está o ator capaz de fugir do lugar comum e interpretar tipos mais humanizados tal como Otávio Jordão de "A viagem", Atílio de "Por amor" ou até mesmo o professor Caio de "Rainha da sucata", que naquele exagero todo conseguia conquistar o público? O erro não é o texto do Benedito, que é emocionante em muitos momentos. O problema é quando o exagero da direção respinga no texto, que acaba por não soar natural. Pode até ser proposital, mas é de difícil digestão.

Luiz Fernando Carvalho deveria ter seguido por outro caminho na mudança de fase. Quem assiste a novela não se preocupa com a referência dos caras que fazem plástica e usam peruca na intenção de manterem-se na eterna juventude, como uma forma de controle da vida tanto de si quanto dos outros. Quem busca o entretenimento de novela quer apenas uma história e precisa acreditar nela. Neste caso, a peruca do Fagundes e a caracterização dessa nova fase em pleno 2016 não fecha, por mais que se queira apresentar algo novo ao espectador. O exagero da direção deveria ter sido amenizado logo nos primeiros capítulos da nova fase para que a gente possa acreditar na história que está sendo contada. Mesmo que a intenção fosse depois voltar com tudo no barroco.

Ah... E só pra enfatizar... #VoltaSantoro